Sebrae completa 50 anos consolidando empreendedorismo

Recentemente incluída entre as 10 marcas mais fortes do Brasil num levantamento com 1.700 nomes avaliados, o Sebrae completa 50 anos contribuindo fortemente com o empreendedorismo no Brasil. Nesses últimos anos, o empreendedor precisou, mais do que nunca, usar sua força e sua determinação para seguir em frente e o Sebrae foi um parceiro essencial.

Através do trabalho que o Sebrae realiza no apoio dos microempreendedores permite que 86 milhões de brasileiros sejam beneficiados pela ação das micro e pequenas empresa e dos microempreendedores individuais (MEI). Esse número equivale a cerca de 40% da população total e é maior do que países como a Alemanha, a França, o Reino Unido e a Tailândia.

O Sebrae é parceiro da Federação Goiana de Municípios (FGM) em diversos projetos, dentre eles o Prefeito Empreendedor. O Presidente da FGM, Haroldo Naves ressalta a importância dessa parceria.

“É com imensa alegria que celebramos essa data, afinal nesses últimos anos que foram extremamente difíceis para todos nós tivemos essa parceria com o Sebrae que não mediu esforços para contribuir de forma positiva com as micro e pequenas empresas que na maioria das vezes são os que tem maior dificuldade em apoio em todas as áreas”, conclui.

As origens em 1972

O Sebrae nasceu em 1972, como Cebrae, assim mesmo com C, sigla de Centro Brasileiro de Assistência Gerencial à Pequena e Média Empresa, numa sala modesta no centro do Rio de Janeiro, com poucos funcionários. A criação foi uma iniciativa do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDE, hoje BNDES), vinculado ao então Ministério do Planejamento e Coordenação- Geral.

Só muito depois da fundação, em 1990, veio o Sebrae com “S”, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, que se desvinculou do governo federal e se tornou instituição autônoma. Foi um começo modesto no tamanho, mas com realizações gigantescas, entregues pouco a pouco, conforme viria a comprovar a trajetória nos 50 anos seguintes, levando a instituição a ser reconhecida como a principal defensora dos pequenos negócios e do empreendedorismo no Brasil.

Os pequenos negócios representam 30% de todas as riquezas produzidas no país, medidas pelo Produto Interno Bruto (PIB), conforme estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Algo semelhante se verifica com os empregos de carteira assinada: 54% deles estão nos pequenos negócios, bem como 44% de todos os salários pagos nessa categoria. Em meio à pandemia da Covid-19, o setor foi responsável por 78% dos empregos formais criados em 2021.

Entre os legados de maior alcance do Sebrae ao Brasil, está o estabelecimento de uma sólida e detalhada legislação favorável ao segmento dos pequenos negócios e a criação de um abrangente conjunto de políticas públicas, e isso só foi possível graças as parcerias estabelecidas.

FGM